A ESPADA E A ROSA

Sinopse

Manuel despede-se das rotinas da sua vida lisboeta e embarca numa caravela portuguesa do séc. XV governada pelas leis da pirataria. Uma traição a bordo desencadeia uma série de acontecimentos terríveis que o protagonista atravessa sem beliscar os seus princípios morais.

Bio-filmografia do realizador

João Nicolau nasceu em Lisboa e, por isso, nunca percebeu nem nunca há de perceber nada sobre o Médio Oriente. Trabalha como realizador, montador, actor e músico.
Realizou as longas metragens A Espada e a Rosa (2010) e JOHN FROM (2015) e as curtas Rapace (2006), Canção de Amor e Saúde (2009), O Dom das Lágrimas (2012) e Gambozinos (2013).
Os seus filmes são regularmente exibidos nos mais prestigiados festivais de cinema: Cannes, Veneza, Locarno, São Paulo, Belfort, Viena, Busan, Buenos Aires, Sevilha, Vila do Conde, Angers, Milão, Montreal, Mar del Plata, Belo Horizonte, Valdivia, Roma, Sarajevo, entre outros.

JOHN FROM [2015] GAMBOZINOS [2013] O DOM DASGRIMAS (para Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura) [2012] A ESPADA E A ROSA [2010] CANÇÃO DE AMOR E SAÚDE [2009] RAPACE [2006] CALADO NÃO DÁ [1999]

Exibição nas salas

ESTREIA EM PORTUGAL A 7 DE ABRIL 2011
ESTREIA EM FRANÇA A 20 DE JULHO 2011

Festivais & Prémios

67º Festival Internacional de Cinema de Veneza – Biennale di Venezia 2010: Orizzonti Competição [Itália, 2010]
Festival Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira [Portugal, 2010]: Prémio dos Cineclubes, Prémio Revelação

Nouveau Cinéma Montréal [Canada 2010]
Mostra de São Paulo [Brasil, 2010]
Festival International du Film de La Roche dur Yon [França, 2010]
Viennale – Vienna International Film Festival [Austria, 2010]
Estoril Film Festival [Portugal, 2010]

Ver mais

Documento apócrifo pertencente aos arquivos de A Rosa

in the beginning, was the great cosmic egg.
inside the egg was chaos, and floating in chaos was P’an Ku, the divine Embryo.
P’an Ku Myth (séc III, China)


plutex, provavelmente uma sigla cujo significado nenhum homem conhece.

Ver mais

Excertos de Diálogos

#1
João – Não mudaste nada…
Manuel – Espero ainda ir a tempo.
João – Tem calma, rapaz. Esta vida vai fazer-te bem. Vais ver que daqui a uns dias já consegues deixar uma meia solta em cima do beliche. Queria dizer-te que estou sinceramente orgulhoso de ti.
Manuel – Ora essa…
João – Foste corajoso.
Manuel – Não me apercebi de grandes perigos.
João – Porque seguiste à risca as indicações que eu te dei.
Manuel – Sempre fui melhor a trabalhar para os outros… Olha lá, como é que desencantaste os alemães às portas de Lisboa?
João – Esse cães…
Manuel – Não tenho nenhuma razão de queixa.
João – Nasceste com o cu virado para a Lua… Quem é que achas que ia no carro que te bateu?
Manuel – Filhos da puta!
João – Indeed. Felizmente já estão longe. E com aquilo que trouxeste não vamos precisar mais deles para o resto da vida.
Manuel – A sério que é suficiente?
João – A sério.

Ver mais

A ESPADA E A ROSA no Festival de São Paulo

Esse desnorteio – do cineasta, de seus personagens, de uma política cinematográfica nacional, de toda uma geração, enfim – é a força estética deste A Espada e a Rosa, filme que alarga as angústias, as incertezas, a confusão sobre como intervir politicamente, mas na mesma medida que afirma um procedimento, uma acidez bastante arguta sobre o ser humano e suas coisas, um estilo, uma forma que não deixa de ser bastante política.

Ver mais

Veja o filme online. A qualquer hora, em qualquer lugar.

Sons

Ficha artística

Manuel Mesquita Luís Lima Barreto Nuno Pino Custódio Pedro Faro Joana Cunha Ferreira Hugo Leitão Mariana Ricardo Lígia Soares Alice Contreiras Tiago Fagulha Crista Alfaiate Caroline Deruas Julie Duclos João Lobo Justin Taurand Helena Carneiro Sinem Erdogan Márcia Breia Pedro Leitão Armando Nunes com a participação de Michael Biberstein, José Mário Branco e Luís Miguel Cintra

Ficha técnica

realização João Nicolau argumento João Nicolau e Mariana Ricardo música original München director de fotografia Mário Castanheira som Vasco Pimentel 1º assistente de realização Telmo Churro anotação Leonor Noivo direcção de arte Silvia Grabowski maquilhagem e cabelos Araceli Fuente montagem Francisco Moreira, João Nicolau montagem de som Vasco Pimentel, Hugo Leitão, João Nicolau, António Lopes mistura Miguel Martins director de produção Joaquim Carvalho produtor executivo Luís Urbano co-produtor Thomas Ordonneau produtores Sandro Aguilar, Luís Urbano

35MM | 137’ | DOLBY SRD | 1:1.66

© O SOM E A FÚRIASHELLAC SUD 2010

Apoios

  • Filme apoiado por ICA | MC ICA | MC
  • desenvolvido com o apoio do Programa MEDIA da Comunidade Europeia Media Programme Media Programme
  • produzido com o investimento de FICA FICA
  • com o apoio Conseil General Bouches-de-Rhônes Conseil General Bouches-de-Rhônes
  • com a participação de RTP RTP
  • e MULTIMED MULTIMED
  • apoio CML CML